Todo mundo vadiando (que maravilha) mas a luta continua, Me sinto esperancoso e nem to no clima de ano novo. To numa fluxo de pensamento a longo de 3 anos sobre esse tema e acabei de ler uma nota muito interessante no Diario Oficial do Acre do dia 2 de dezembro, são 4 promotores notificando sobre a necessidade de um plano de mobilidade nas cidades do Acre.
Quem batalhou esse ano inteiro para propagar idéias de mobilidade pode respirar e sentir realizado as mensagens estão chegando em todos os cantos e por mais que tudo pareca beirar o apocalipse estamos renovando as idéias do mundo e conectando pessoas.
Obrigado a todos os atores políticos da mobilidade aprendi muito e continuarei aprendendo com todas essas interacoes online e presenciais.

Leia trechos do artigo:

“CONSIDERANDO que nas cidades brasileiras, e em Rio Branco não é diferente, a falta de planejamento e a falta de velocidade de resposta de infraestrutura urbana fizeram do trânsito um dos grandes problemas urbanos, que interfere na vida de todos os usuários ou não do transporte público; sendo que, no que se refere aos transportes públicos de massa, carecem de eficiência e de qualidade, não possibilitando aos seus usuários reduzir o tempo despendido com os deslocamentos urbanos�

CONSIDERANDO, de outro giro, que o estabelecimento de políticas econômicas incentivadoras da aquisição de veículos, como a redução de IPI, dentre outras, como já frisado, não foi acompanhado de necessários investimentos em infraestrutura urbana na malha viária; e, quanto mais aumenta o número de veículos, mais se reduz a velocidade/fluidez no trânsito, fazendo com que os ônibus disputem espaço com os automóveis, sem qualquer prioridade
CONSIDERANDO que, embora seja necessária uma mudança de comportamento, no que diz respeito à maior utilização do transporte público, para que isso ocorra tem que haver transporte de massa de qualidade e eficiente.

CONSIDERANDO, outrossim, que nas nossas cidades, em regra, o pedestre não dispõe de passeios públicos adequados para que possa ir e vir livremente e com segurança; o mesmo ocorrendo com a utilização de bicicletas, que é sobremaneira arriscada….

…Por derradeiro, após a manifestação dos recomendados sobre o acatamento ou não da presente Recomendação, em caso de negativa do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte – DNIT, encaminhe-se cópia ao Ministério Público Federal para que as providências cabíveis�
Publique-se�
Notifique-se.
Cumpra-se�
Rio Branco-AC, 26 de novembro de 2014�
Rita de Cássia Nogueira Lima Promotora de Justiça Marco Aurélio Ribeiro Promotor de Justiça Rogério Voltolini Muñoz Promotor de Justiça Alessandra Garcia Marques Promotora de Justiça

Leia o artigo completo aqui basta procura a palavra chave bicicleta para encontra-lo

http://diario.ac.gov.br/download.php…

Todo mundo vadiando (que maravilha) mas a luta continua, Me sinto esperancoso e nem to no clima de ano novo. To numa fluxo de pensamento a longo de 3 anos sobre esse tema e acabei de ler uma nota muito interessante no Diario Oficial do Acre do dia 2 de dezembro, são 4 promotores notificando sobre a necessidade de um plano de mobilidade nas cidades do Acre.  
Quem batalhou esse ano inteiro para propagar idéias de mobilidade pode respirar e sentir realizado as mensagens estão chegando em todos os cantos e por mais que tudo pareca beirar o apocalipse estamos renovando as idéias do mundo e conectando pessoas. 
Obrigado a todos os atores políticos da mobilidade aprendi muito e continuarei aprendendo com vocês.  

Leia trechos do artigo: 

"CONSIDERANDO que nas cidades brasileiras, e em Rio Branco não é diferente, a falta de planejamento e a falta de velocidade de resposta de infraestrutura urbana fizeram do trânsito um dos grandes problemas urbanos, que interfere na vida de todos os usuários ou não do transporte público; sendo que, no que se refere aos transportes públicos de massa, carecem de eficiência e de qualidade, não possibilitando aos seus usuários reduzir o tempo despendido com os deslocamentos urbanos� 

CONSIDERANDO, de outro giro, que o estabelecimento de políticas econômicas incentivadoras da aquisição de veículos, como a redução de IPI, dentre outras, como já frisado, não foi acompanhado de necessários investimentos em infraestrutura urbana na malha viária; e, quanto mais aumenta o número de veículos, mais se reduz a velocidade/fluidez no trânsito, fazendo com que os ônibus disputem espaço com os automóveis, sem qualquer prioridade
CONSIDERANDO que, embora seja necessária uma mudança de comportamento, no que diz respeito à maior utilização do transporte público, para que isso ocorra tem que haver transporte de massa de qualidade e eficiente. 

CONSIDERANDO, outrossim, que nas nossas cidades, em regra, o pedestre não dispõe de passeios públicos adequados para que possa ir e vir livremente e com segurança; o mesmo ocorrendo com a utilização de bicicletas, que é sobremaneira arriscada....

...Por derradeiro, após a manifestação dos recomendados sobre o acatamento ou não da presente Recomendação, em caso de negativa do  Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte – DNIT, encaminhe-se cópia ao Ministério Público Federal para que as providências cabíveis�
 Publique-se� 
Notifique-se. 
Cumpra-se� 
Rio Branco-AC, 26 de novembro de 2014�
Rita de Cássia Nogueira Lima Promotora de Justiça Marco Aurélio Ribeiro Promotor de Justiça Rogério Voltolini Muñoz Promotor de Justiça Alessandra Garcia Marques Promotora de Justiça 

Leia o artigo completo aqui basta procura a palavra chave bicicleta para encontra-lo

http://diario.ac.gov.br/download.php?arquivo=KEQxQHI3IyEpRE8xNDE3NDg0NTAwNjE0LnBkZg==